Produtores rurais preservam 34% da área de Mato Grosso

O estado de Mato Grosso tem 65% de sua área de 90 milhões de hectares preservada. Este dado foi revelado pelo chefe-geral da Embrapa Monitoramento por Satélite, Dr. Evaristo de Miranda, nesta segunda (24), no Meeting Aprosoja – Sustentabilidade. Os agropecuaristas preservaram 34% deste total.

“É algo que impressiona, pois Mato Grosso é um estado com vocação agrícola. Se fosse o Alasca ou o deserto da China, é até algo mais comum. Mas com todo o potencial agricultável do estado e os produtores preservarem as áreas verdes é importante. O País deveria reconhecer o estado por este esforço”, afirma Evaristo de Miranda.

Mato Grosso é o estado que tem maior área verde preservada se comparada com qualquer país com mais de dois milhões de quilômetros quadrados. “Só perde para o próprio Brasil por causa da Amazônia. E é um desafio manter isso, certamente. Precisamos pensar em como compensar o produtor rural, pois órgãos ambientais e indígenas têm orçamentos para manter o meio ambiente e o produtor também deve ser pago por preservar”, diz o pesquisador.

Mato Grosso foi o primeiro estado do Brasil a ser totalmente mapeado pela Embrapa, o que culminou no estudo “Atribuição, Uso e Ocupação das terras de Mato Grosso”. Miranda explica que foram usados os dados do Cadastro Ambiental Rural (CAR), de áreas indígenas, de preservação e ainda informações do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

“Somos campeões em preservação e a Embrapa veio validar isso. Somos constantemente acusados de degradação, mas os agricultores preservam o meio ambiente porque é com o que ele trabalha. Conservam dentro da sua propriedade. Agora precisamos conversar sobre compensação por esta preservação”, ressalta Endrigo Dalcin, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja).

Dalcin lembra que a Aprosoja disponibiliza programas de orientação ao associado no que se refere ao cumprimento das leis trabalhistas e ambientais. “Temos uma comissão de Sustentabilidade que tem trabalhado para sugerir melhorias para os agricultores e, ainda, o programa Soja Plus, que ajuda na prática destas melhorias. É o que o mundo quer, soja rastreada e com sustentabilidade”, finaliza.

Para conhecer o estudo completo, clique aqui.

Fonte: Aprosoja

About Jose.Damico
Damico tem 23 anos de experiência em tecnologia e é especialista em transformação digital. Em sua primeira empresa desenvolveu tecnologias pioneiras para e-learning e dispositivos de segurança da informação. Durante esse mesmo período foi co-fundador de uma startup de e-procurement ativa até hoje. Posteriormente, iniciou suas atividades na IBM. Foi engenheiro de software, e se destacou com o desenvolvimento da plataforma DB2 para análise de grandes volumes de dados, ainda nesta época foi eleito para o Technology Leadership Council da IBM. Durante 8 anos desenvolveu projetos inovadores, fundou uma startup de sistemas de segurança embarcados em processadores no Vale do Silício, investida pelo Intel Capital. Nos últimos anos, atuou como CIO e P&D em empresas de tecnologia focadas no mercado financeiro do Brasil e Europa. Ele também tem uma forte presença na comunidade internacional de software livre. Na SciCrop, José coordena todos os desenvolvimentos tecnológicos, aplicando o conhecimento de suas pesquisas inovadoras em big data e IOT para a agricultura.

No Comments, Be The First!

Your email address will not be published.