Agricultura foi o setor que menos cortou vagas em 2016

Setor fechou apenas 0,84% das vagas disponíveis de trabalho no ano passado

O ano de 2016 ainda apresentou resultados negativos em todos os setores, embora já com um ritmo menor do que em 2015. Em números relativos, o setor que menos sofreu nos últimos 12 meses foi o da agricultura, com um fechamento de apenas 0,84% das vagas, informa o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho.

Na segunda posição, surge a administração pública, que teve percentual negativo de 0,97%, seguida pelo comércio e serviços que tiveram perdas de 2,22% e 2,28% respectivamente. O segmento que mais sofreu foi o da construção civil, que fechou 13,48% dos postos formais, seguido pelo extrativo mineral (-5,67%) e a indústria da transformação (-4,23%).

Segundo o Caged, 2016 encerrou com queda no ritmo da perda de empregos formais. Nos últimos 12 meses, foram fechadas 1.321.994 vagas, 14% a menos do que no mesmo período de 2015, quando o mercado perdeu 1.534.989 postos de trabalho. Apesar dos números ainda serem negativos, a comparação já mostra uma diminuição significativa no fechamento de vagas.

Fonte: InfoMoney
Curta a SciCrop no Facebook!
 

About Jose.Damico
Damico tem 23 anos de experiência em tecnologia e é especialista em transformação digital. Em sua primeira empresa desenvolveu tecnologias pioneiras para e-learning e dispositivos de segurança da informação. Durante esse mesmo período foi co-fundador de uma startup de e-procurement ativa até hoje. Posteriormente, iniciou suas atividades na IBM. Foi engenheiro de software, e se destacou com o desenvolvimento da plataforma DB2 para análise de grandes volumes de dados, ainda nesta época foi eleito para o Technology Leadership Council da IBM. Durante 8 anos desenvolveu projetos inovadores, fundou uma startup de sistemas de segurança embarcados em processadores no Vale do Silício, investida pelo Intel Capital. Nos últimos anos, atuou como CIO e P&D em empresas de tecnologia focadas no mercado financeiro do Brasil e Europa. Ele também tem uma forte presença na comunidade internacional de software livre. Na SciCrop, José coordena todos os desenvolvimentos tecnológicos, aplicando o conhecimento de suas pesquisas inovadoras em big data e IOT para a agricultura.

No Comments, Be The First!

Your email address will not be published.