Mosca negra: praga que pode causar a morte das laranjeiras

A mosca negra é uma praga que causa danos diretos e indiretos nas árvores de citros, pois alimenta-se da seiva das plantas deixando-a debilitada e, em alguns casos, levando-a a morte, se não forem realizadas as medidas de controle.

Além dos danos provocados pela mosca negra, ela facilita a ocorrência de fumagina, que é causada pelo fungo Capnodium sp., que se desenvolve sobre as excreções da mosca negra e chega a revestir totalmente a folha, acarretando a redução da fotossíntese e impedindo a respiração da planta.

O controle da mosca negra deve ser baseado em monitoramento com inspeções semanais nas brotações novas, examinando a face inferior das folhas novas e maduras à procura de sinais de postura da mosca negra. Depois de identificada a presença da praga, recomenda-se que sejam feitas aplicações de adulticidas associados a reguladores de crescimento. Também é necessária a aplicação de óleo mineral para retirar a fumagina da superfície das folhas e frutos. Em áreas com altas populações pode ser necessária mais de uma aplicação.

O controle biológico também é indicado para a mosca negra. Os mais efetivos são com as vespinhas Encarsia opulenta e a Amitus hesperidum. O ciclo de desenvolvimento de ovo a adulto é de 45 a 133 dias. Os adultos apresentam corpo cinza-escuro, com faixas avermelhadas no tórax e abdômen.

A disseminação da praga ocorre por transporte de material vegetal, principalmente plantas ornamentais, pelo homem e carregada pelo vento. As espécies de citros são os principais hospedeiros da praga, mas ela também pode infestar mais de 300 espécies de plantas, incluindo abacateiro, cajueiro, videira, goiabeira, mamoeiro, pereira, plantas ornamentais e daninhas, sendo transportadas facilmente entre regiões.

Fonte: Agrolink

About Jose.Damico
Damico tem 23 anos de experiência em tecnologia e é especialista em transformação digital. Em sua primeira empresa desenvolveu tecnologias pioneiras para e-learning e dispositivos de segurança da informação. Durante esse mesmo período foi co-fundador de uma startup de e-procurement ativa até hoje. Posteriormente, iniciou suas atividades na IBM. Foi engenheiro de software, e se destacou com o desenvolvimento da plataforma DB2 para análise de grandes volumes de dados, ainda nesta época foi eleito para o Technology Leadership Council da IBM. Durante 8 anos desenvolveu projetos inovadores, fundou uma startup de sistemas de segurança embarcados em processadores no Vale do Silício, investida pelo Intel Capital. Nos últimos anos, atuou como CIO e P&D em empresas de tecnologia focadas no mercado financeiro do Brasil e Europa. Ele também tem uma forte presença na comunidade internacional de software livre. Na SciCrop, José coordena todos os desenvolvimentos tecnológicos, aplicando o conhecimento de suas pesquisas inovadoras em big data e IOT para a agricultura.

No Comments, Be The First!

Your email address will not be published.