Área plantada com hortaliças aumenta 1,28% em 2016

Hortaliças

Em relação às estimativas para a área em 2016 e verão 2016/17, as pesquisas do Projeto Hortifruti/Cepea indicam aumento de 3,4% frente ao mesmo período do ano anterior.

Para batata, cebola, cenoura e tomate industrial, houve aumento nos investimentos. A batata foi a que mais ampliou, por conta do aumento da expansão industrial (batata pré-frita congelada) no País. Em cenoura, foram observados novos entrantes no mercado, que impulsionaram a área. Em cebola, as perspectivas positivas dos anos anteriores elevaram a área em 2016. Quanto à alface, a área no cinturão verde de São Paulo continua estável. O tomate de mesa teve recuo em regiões importantes produtoras, por conta da baixa rentabilidade do inverno anterior. A perspectiva é de estabilidade da área de tomate de mesa no verão 2017/18 frente à temporada anterior.

Frutíferas

Para 2016, a área geral de frutas deve ter leve queda de 0,6% frente à de 2015.

Para banana, deve haver aumento em Delfinópolis (MG) e no Vale do São Francisco, mas não deve compensar a forte queda do Rio Grande do Norte/ Ceará, onde a falta de água para irrigação pressionou a área. Para a manga, a previsão é de aumento de área no Interior de SP, Norte de MG e recuperação da área em Livramento de Nossa Senhora (BA), reduzida pela seca das últimas quatro safras. Os investimentos em área para essas culturas deverão compensar em parte a queda prevista para melão (Vale do São Francisco), mamão (Norte de MG e Espírito Santo), uva (São Paulo e Paraná) e melancia. Para esta última cultura, é prevista redução no Rio Grande do Sul, Tocantins e na safrinha de São Paulo, por conta de dificuldades climáticas e da baixa rentabilidade no ano anterior – sobretudo no Sul.

Fonte: Hf Brasil.

About Jose.Damico
Damico tem 23 anos de experiência em tecnologia e é especialista em transformação digital. Em sua primeira empresa desenvolveu tecnologias pioneiras para e-learning e dispositivos de segurança da informação. Durante esse mesmo período foi co-fundador de uma startup de e-procurement ativa até hoje. Posteriormente, iniciou suas atividades na IBM. Foi engenheiro de software, e se destacou com o desenvolvimento da plataforma DB2 para análise de grandes volumes de dados, ainda nesta época foi eleito para o Technology Leadership Council da IBM. Durante 8 anos desenvolveu projetos inovadores, fundou uma startup de sistemas de segurança embarcados em processadores no Vale do Silício, investida pelo Intel Capital. Nos últimos anos, atuou como CIO e P&D em empresas de tecnologia focadas no mercado financeiro do Brasil e Europa. Ele também tem uma forte presença na comunidade internacional de software livre. Na SciCrop, José coordena todos os desenvolvimentos tecnológicos, aplicando o conhecimento de suas pesquisas inovadoras em big data e IOT para a agricultura.

No Comments, Be The First!

Your email address will not be published.